25/01/2018 - Por SindPrevs

Previdência completa 95 anos

GT - Seguro Social
Previdência completa 95 anos
Imagem reprodução SindPRevs

1

PEC 287, a Reforma da Previdência do Governo Temer, se resume a um projeto perverso, injusto e cheio de distorções, atacando direitos imprescindíveis aos brasileiros (charge: Latuff)

 

Por Lúcia Lopes*

 

A Previdência Social faz 95 anos: não deixemos que seja destruída! Em 24 de janeiro de 1923 foi autorizada a criação de Caixas de Aposentadorias e Pensões para os ferroviários. Ali nascia oficialmente a previdência no Brasil.

Desde então sofreu muitas transformações. Se expandiu, ampliou o leque de benefícios e tornou-se uma política de seguridade social. Sempre foi objeto de disputa e interesses antagônicos. Os trabalhadores lutam por seu controle e ampliação de sua cobertura. Os capitais tentam transformá-la exclusivamente em uma mercadoria lucrativa.

Aos 95 anos, com mais de 56 milhões de segurados, dos quais, mais de 32 milhões encontram-se em benefícios, é muito jovem, mas sua função social está sob ameaça. Na realidade, ela precisa de uma verdadeira REFORMA para poder tornar-se uma política que ofereça segurança aos mais de 200 milhões de brasileiros diante de incapacidades para o trabalho, reclusões ou mortes, encargos familiares importantes para o desenvolvimento das pessoas (nascimento de filhos, casamentos, outros) e outros motivos.

É preciso que as situações de coberturas sejam ampliadas, ainda há muitas necessidades nessa direção. É preciso que a sociedade tenha absoluto controle sobre a aplicação dos recursos do orçamento da seguridade social. É preciso ampliar as fontes de financiamento e democratizar radicalmente sua gestão e as decisões sobre o seu destino! Ela precisa de muito mais para tornar-se melhor e mais eficaz. Ela precisa ampliar os direitos e benefícios a serem assegurados à classe trabalhadora e não de CONTRARREFORMA, pela redução de direitos.

Por que ao invés de CONTRARREFORMÁ-LA, reduzindo-a drasticamente como é a pretensão do governo por meio da PEC 287/2016 ou derivações (substitutivo ou Proposta aglutinativa em discussão), o governo não faz um amplo plebiscito, com um debate público transparente, como fez a Suíça, para decidir os seus destinos? Por que não procura saber a sua importância para a vida de cada brasileiro que a usufruiu em alguma ocasião? Por que não cobra cada centavo daqueles que a devem?

A resposta é óbvia: porque a Previdência Social como proteção só é vital para nós, trabalhadores e trabalhadoras! Sua conquista e existência até a atualidade foi fruto de muitas lutas, assim também será sua continuidade.

Os capitais querem arrancá-la de nós a qualquer custo! E este governo entreguista é o governo dos capitais. É o governo dos banqueiros e patrões, é o governo das instituições financeiras. Por isso, volta-se somente para atender aos interesses destes setores, inclusive em relação à previdência social.

Portanto, hoje, no aniversário da Previdência Social é dia de renovarmos nosso compromisso em sua defesa! Não importa os símbolos que ela teve até hoje, importa a sua função social.

A previdência é nossa, temos que barrar a sua contrarreforma em curso para que ela continue a existir e cumprir sua função de proteção social à classe trabalhadora, como uma política de seguridade social!

 

*Lúcia Lopes é assistente social e professora doutora da Universidade de Brasília (UnB).

 

Baixe aqui este texto para seu dispositivo.

Baixe aqui nossos arquivos:

voltar

a sindprevs

Há dezessete anos os trabalhadores da Seguridade Social realizavam importante greve com mais de noventa dias de paralisação. No dia 14 de outubro de 1988, na vanguarda de luta de classe, fundaram o SINDPREVS-PR, com objetivo de impulsionar a luta deste setor.

contato

sede ( londrina )
(43) 3321-3814

Rua Jorge Casoni, 2575
Londrina-PR

sub-sede ( curitiba )
(41) 3232-0400

Av. Marechal Deodoro, 500
Sala: 155 - Curitiba-PR

horário de funcionamentoSegunda à Sexta das 8h às 18h